Alegre, carinhosa e de uma energia incrível, Marli Maria de Oliveira é pós-graduada em Gestão de Perícia Ambiental e servidora do INCRA há 34 anos. Com amor no coração e um sorriso capaz de iluminar um dia sombrio, o lema de vida de Marli é: amor, paz e cordialidade. Para ela, o respeito também é fundamental.

Marcada pelo amor que tem ao órgão, Marli tem história por todo Brasil. Dentre as trajetórias contadas, a servidora relembra que em Santa Catarina ela e outros colegas foram enviados para fazer um trabalho no estado. Chegando ao assentamento, Marli percebeu que havia várias pessoas doentes como crianças, idosos e adultos. Preocupando-se com tal situação, sentiu a necessidade de investigar as causas dessas doenças.

Conversando com os assentados, a servidora do Incra descobriu que o antigo dono das terras ficou frustrado ao saber que suas fazendas seriam desapropriadas, e por vingança jogou animais mortos no poço artesiano que abastecia a propriedade e os assentados. Assim, as pessoas que utilizavam o poço ficaram doentes por conta da água contaminada.

Revoltada com a situação, Marli colheu uma amostra da água do poço, entregou a um laboratório para análise, e na entrega do resultado foi comprovada a contaminação da água. Ela elaborou um relatório detalhado da situação em que se encontrava aquele povoado.

Depois de muita luta pela falta de verba do órgão, o INCRA juntamente com o Estado de Mato Grosso (MS), conseguiu enviar uma equipe para Santa Catarina para despoluir o poço artesiano. “Os assentados estavam até com hepatite C, e hoje, eles agradecem aquele anjo que fez o trabalho’’ relata Marli.

Sua ligação com a Assera/BR permanece desde que entrou no Incra. “A associação sempre está nos defendendo, me sinto bem aqui. O servidor jamais poderá ficar sem a ASSERA”, pondera.

Para Marli, o INCRA é como uma mãe, e a servidora tem amor pelo trabalho que realiza na entidade. “Nós, servidores, amamos o que fazemos. Sempre fomos honestos e trabalhamos em prol da sociedade, e quando vejo aqueles colegas desanimados, dou aquela força”, comenta a servidora.

Assessoria de Comunicação Social da Assera/BR
ASSERABR.ORG.BR
(61) 3411-7554